A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Presidente turco condena bloqueio do Twitter através da rede social

Presidente turco condena bloqueio do Twitter através da rede social
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O Twitter está bloqueado na Turquia, mas não para todos.
Que o diga o chefe de Estado, Abdullah Gul que utilizou a rede social para criticar a decisão do primeiro-ministro.

Recep Tayyip Erdogan decidiu cortar o acesso ao Twitter depois de a plataforma ter publicado excertos de conversas telefónicas que envolvem o chefe de governo turco num escândalo de corrupção.

A oposição turca fala de uma violação da liberdade de expressão. A imprensa nacional de um ato radical.

O medo e a revolta são os sentimentos dominantes nas ruas de Istambul:

“Não me parece que a Turquia tenha um futuro brilhante. Nem sequer podemos falar na rua sobre o assunto e isso não é bom sinal” refere Doga Satir.

“Só lhe posso dar os parabéns. Bloquear a rede social não é uma solução. Edogan pode fazer o que quiser, mas as pessoas vão arranjar uma forma para contornar a situação” adianta Fahir Karabel.

Vários países europeus já condenaram a decisão do chefe de governo turco tomada a pouco menos de uma semana das eleições municipais.

Segundo, fonte governamental o bloqueio do Twitter é temporário.