Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Ligeira baixa de tensão na crise ucraniana

Ligeira baixa de tensão na crise ucraniana
Tamanho do texto Aa Aa

O conflito diminuiu um pouco depois do presidente russo , Vladimir Putin, ter ordenado a retirada parcial das tropas russas da fronteira ucraniana a pedido de Angela Merkel.

A Polónia e França participaram na Alemanha numa conferência internacional a fim de coordenar o apoio ao governo ucranano.

Os ministros dos negócios estrangeiros reuniram-se na cidade alemã de Weimar onde discutiram reformas e assistência técnica e exortaram Moscovo iniciar negociações diretas com Kiev para encontrarem uma solução para o conflito.

O ministro alemão dos Negócios Estrangeiros, Frank -Walter Steinmeier , disse ser inaceitável provocar conflitos como este na Europa no século 21.

“ Cem anos depois do início da 1 ª Guerra Mundial, 70 anos após o fim da Segunda e 25 anos após a Guerra Fria, não pode haver qualquer lugar neste século para correções de fronteira que podem evoluir para novos conflitos”.

Os Estados Unidos, no entanto mostram-se cautelosos e pedem que as informações sobre a retirada das tropas russas sejam verificadas.

A presença destes soldados – 20.000 de acordo com Washington – tem levantado temores de uma invasão da parte oriental da Ucrânia , e de língua russa , e uma repetição do cenário que levou à perda da Criméia, no sul do país. O Primeiro-ministro russo , Dmitry Medvedev fez ontem uma visita à região.