Última hora
This content is not available in your region

Companhias de teatro do mundo inteiro em Budapeste

Companhias de teatro do mundo inteiro em Budapeste
Tamanho do texto Aa Aa

A Hungria presta homenagem ao poeta e dramaturgo Imre Madách com uma série de eventos. O Teatro Nacional em Budapeste organiza um encontro internacional com companhias de treze países. A programação inclui a exibição de vinte produções teatrais.

“Queríamos mostrar espetáculos interessantes tanto para o público como para os artistas das outras companhias. Essas companhias nunca tinha vindo a Budapeste. Já tínhamos tido encontros com os países vizinhos mas nunca tínhamos recebidos artistas de tão longe, por exemplo da Geórgia, da Bulgária, o teatro estatal Tatar, o Teatro Nacional Iraquiano ou o Teatro de Ancara da Turquia”, explicou András Kozma, dramaturgo e organizador do evento.

O Teatro Nacional do Iraque apresentou uma peça de Muhamed Al-Hadi sobre a guerra. Um homem e uma mulher foram obrigados a abandonar as casas devido à guerra. Quando a situação melhora o homem quer regressar mas a mulher quer ficar.

Labwa Arab foi distinguida o prémio de melhor atriz no Festival Internacional de Teatro de Bagdade.

“Vi muitos vídeos, conheci muitas mulheres e compreendi as suas emoções, foi muito intenso. Mesmo agora quando penso na peça e quando ensaio para as representações fico esgotada porque há muitas emoções e é uma grande responsabilidade mostrar as coisas como elas se passaram”, disse a atriz.

“Liturgia zero” é o nome da obra apresentada pelo Teatro Alexandrinsky.

Encenada por Valery Fokin, a peça é uma adaptação do romance “O Jogador” Fiódor Dostoiévski.

Sinto que há um interesse pelo Teatro russo. A nossa companhia tem 258 anos, é um dos teatros mais antigos da Europa e foi o primeiro teatro nacional na Rússia. Esta tradição é como uma base. Mas um teatro não é um museu, temos de ser frescos e vivos. É o coração da arte teatral”, sublinhou Valery Fokin.

O Teatro de Arte de Moscovo tranpôs o imaginário de Gogol para os dias de hoje. A ação da peça desenrola-se num pequeno clube russo.

Para os estudantes, o Festival é um ocasião para ver peças de vários países.

Os artistas russos tem uma linguagem teatral diferente da da Hungria. Durante o Festival, podemos ver ideias de cenários e de encenação. Ver coisas diferentes é a base da criatividade”, disse Sándor Berettyan, estudante de teatro.

O envento desenrola-se no Teatro Nacional da Hungria, em Budapeste, até ao dia 7 de Abril.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.