Última hora
This content is not available in your region

Rússia: Putin dá ordem e exercícios militares arrancam no Ártico

Rússia: Putin dá ordem e exercícios militares arrancam no Ártico
Tamanho do texto Aa Aa

Vladimir Putin instruiu os serviços de segurança da Federação russa, o conhecido FSB (antigo KGB), para intensificar a vigilância militar no Ártico para prevenir eventuais ataques à Rússia a partir daquela zona inóspita do planeta e a verdade é que os primeiros exercícios militares russos, na história moderna do país, já arrancaram junto ao Polo Norte. Tropas especiais da brigada aerotransportada russa chegaram esta terça-feira a uma zona remota do Ártico para ali realizarem exercícios e, alegadamente, simular a busca e resgate de exploradores desaparecidos.

Depois de treino intenso no campo militar de Olenya, no norte da Rússia, dezenas de paraquedistas aterraram esta terça-feira num quadrante remoto do continente gelado sob condições meteorológicas extremas. Para além do equipamento especial que transportaram durante o salto, os militares receberam ainda, através de aviões de carga, mais recursos para os auxiliar durante os exercícios, nomeadamente cães especializados em zonas de temperaturas negativas.

O Ártico é uma região selvagem com enorme potencial de petróleo. Várias partes da região têm sido reclamadas por países como o Canadá, a Dinamarca, a Noruega e, claro, Rússia, que se prepara, alias, para reabrir em Barneo, a cerca de 100 quilómetros do Polo Norte, uma estação de alegada exploração científica, mas que estará preparada também para vir a ser também uma estância turística naquela região selvagem.

No discurso que dirigiu segunda-feira ao FSB, Vladimir Putin revelou contudo preocupações militares com o Ártico. A Rússia tem estado no alvo da larga maioria da comunidade internacional, sucedendo-se as sanções a Moscovo na sequência da influência do Kremlin nas manifestações pro-Rússia que estão a dividir a Ucrânia. Ao mesmo tempo, têm-se vindo a intensificar os exercícios militares russos junto a zonas fronteiriças.

A sublinhar também o aumento de operações do Kremlin no Ártico, o braço petrolífero da empresa energética russa de capitais públicos, a Gazprom Neft, planeia começar ainda este mês a transportar os primeiros carregamentos de barris de petróleo extraídos dos poços de Prirazlomnoye, a primeira exploração petrolífera russa em mar aberto na zona do Ártico.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.