A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Entrega dos prémios da Academia Grega de Cinema

Entrega dos prémios da Academia Grega de Cinema
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Numa cerimónia que reuniu em Atenas realizadores, produtores, atores e fãs do grande ecrã, foram entregues na segunda-feira os prémios da Academia Grega de Cinema.

O grande vencedor foi “Little England”, um filme realizado por Pantelis Voulgaris, que liderou as nomeações, com 13 gongs, conquistando um total de seis prémios – para a melhor imagem, melhor cinematografia, melhor figurino, melhor design de produção, melhor som e melhor caracterização.

“Little England” fala-nos da ilha grega de Andros, nos anos ’30 e ’40. A fantástica saga de uma família percorre duas décadas da vida das irmãs Saltafero – Orsa e Moscha, os pais, maridos e filhos. Unidas e divididas por um terrível segredo, as duas irmãs passam as suas vidas apaixonadas pelo mesmo homem. é uma história de paixão, de família e destino.

“Little England” foi muito bem recebido pelo público e pela crítica, e já fez mais de 360 mil bilhetes em box office.

Pantelis Voulgaris falou-nos da película:
“A grande aposta desta arte tão dispendiosa e difícil que fazemos é decidida na box office. Este primeiro prémio que recebemos ganhou essa batalha. A participação e os prémios que a minha equipa conseguiu esta noite, foram um gesto muito generoso da Academia Grega de Cinema.”

Yorgos Tsemberopoulos venceu o prémio de realização com “The enemy within”. O filme recebeu ainda prémios para a edição e argumento.

Nesta sua quinta criação cinematográfica, um intelectual é forçado a reavaliar as suas convicções, quando a violência invade o seu lar e abala profundamente a sua família.

Em Atenas, ano 2012, Kostas, um ideólogo progressista, leva uma vida normal com a sua mulher, uma filha e um filho, até que a casa onde habitam é assaltada por um bando violento. A experiência de brutalidade extrema abala a paz familiar. Kostas passa a ter consigo em casa uma espingarda.

O filme participara já em muitos festivais internacionais de cinema – ECU Independent Film Festival, BFI London Film Festival, o Festival de Cinema Mundial de Montreal e o Festival de Cinema de Istambul – e foi selecionado para o o Festival Internacional de Pequim.

Sobre este prémio, Yorgos Tsemberopoulos sublinhou que representa a opinião da indústria cinematográfica grega:
“Quero agradecer à Academia Grega de Cinema, que apoio sinceramente, pois representa o voto de 200 pessoas da indústria cinematográfica grega. Este é um prémio importante, pois votam aqui profissionais de diferentes idades. Tem um enorme valor moral.”

Kora Karvouni ganhou o prémio para a melhor atriz, pela sua interpretação em “September”, realizado por Penny Panagiotopoulou.

O filme passou em vários festivais internacionais de cinema – Karlovy Vary, Toronto, Hamburgo, Reykjavik – e conseguiu várias críticas positivas.

Uma interpretação que constituiu um grande desafio para a atora:
“Este filme exigiu muito de mim, pois não tinha muitos diálogos. A personagem é muito silenciosa, que convive acima de tudo com crianças e um cão – são fatores muito imprevisíveis. mas apesar de as filmagens terem sido difíceis e exaustivas, recordo cada momento com muito carinho.”

Themis Panou recebeu o prémio para o melhor ator, pela sua interpretação em “Miss Violence”, de Alexandros Avranas. Panou obteve também, no último Festival Internacional de Cinema de Veneza, a Coppa Volpi, para a melhor interpretação masculina nesta película:
“Receber estes dois prémio é uma experiência única. Nunca imaginara, nem em sonhos. Ainda não sei se acredito.”

Costa-Gavras recebeu este ano em Atenas o prémio de honra, depois de realizar mais de vinte películas. O realizador grego disse-nos o que pensa dos prémios de cinema:
“O problema com os prémio de cinema, é que recebes algo que não tinhas antes e uma vez que tens, não podes ignorá-lo. Sempre que volto à Grécia, reencontro os meus amigos de juventude, coom amigos que me ajudaram a ser quem sou.”

2013 foi um bom ano para a indústria do cinema grego. Foram produzidos alguns filmes que participaram em alguns dos festivais de aior destaque internacional. O mais importante, porém, é que 50% das produções deste ano foram realizadas por jovens realizadores. O mundo espera que 2014 seja um ano melhor para o cinema grego.