A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Turquia apresenta condolências pelo massacre de arménios em 1915

Turquia apresenta condolências pelo massacre de arménios em 1915
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

No Dia da Criança, na Turquia, o primeiro-ministro, Recep Tayyip Erdogan apresentou as condolências do país “aos netos dos arménios mortos em 1915”.

É a primeira vez que um governo turco aborda aberta e oficialmente, as deportações e massacres cometidos, entre 1915 e 1917, pelo então Império Otomano.

O dia 24 de abril de 1915 assinala o início das perseguições. A Turquia admite que meio milhão de arménios tenha morrido de fome ou em combate, durante a I Grande Guerra. Mas recusa o termo de genocídio usado pela Arménia, que fala num milhão e meio de mortos.

Para os turcos, as condolências agora apresentadas por Ancara são positivas. Um cidadão diz: “Penso que é positivo. Houve muitos erros cometidos pela Turquia, ao longo da História. É bom admitir que cometemos erros e aceitá-los. Para o povo turco – incluindo todas as minorias – é muito bom viver em unidade.”

Na Arménia, o dia 24 de abril é de recolhimento e memória. Mas as autoridades já reagiram à declaração do governo turco: dizer que “partilha a dor” e que as mortes foram “desumanas” não chega: é preciso que Ancara reconheça o genocídio e ofereça compensações.