Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Quando um diamante raro desperta a cobiça

Quando um diamante raro desperta a cobiça
Tamanho do texto Aa Aa

Bérénice Bejo e Yvan Attal juntos no novo filme de Éric Barbier, “Le dernier diamant”, ou “O último diamante”.

Um thriller que narra a história de uma tentativa de roubo de um diamante raro.

Simon, acabou de sair da prisão e quer roubar o “Florentin”, um mítico diamante.

Julia é a dona da gema, que foi encontrada pela mãe e que morreu em circunstâncias misteriosas.

Simon finge ser um especialista em segurança de modo a poder aproximar-se da jovem e realizar o roubo.

Para o realizador, Éric Barbier, é o retornar a um género pelo qual a indústria cinematográfica francesa já foi muito reconhecida.

“O cinema francês teve, de facto, um período muito rico neste género, entre os anos 50 e 70. Havia muitos filmes com este tipo de argumento, este tipo de cenário e penso ser um prazer trabalhar no ‘Le dernier diamant”. Foi o reavivar este género de cinema que é um género que foi, um pouco abandonado em França,” acredita Barbier.

O ator francês, Yvan Attal, alcançou notoriedade internacional em 2006 ao participar no filme “Munique” Steven Spielberg, sobre o massacre nos Jogos Olímpicos de 1972.

Bérénice Bejo saltou para a ribalta internacional ao ser nomeada para um Óscar de melhor atriz secundário, com “O Artista”.

Este é o primeiro filme em que Bérénice e Yvan contracenam…

“As coisas foram muito tranquilas e naturais entre a Bérénice e eu. Tenho a impressão de que do primeiro ao último dia o nosso relacionamento, obviamente, mudou uma vez que nos íamos conhecendo melhor, as cenas que fizemos juntos, etc… Mas foi sempre fácil, sempre com um sorriso,” confirma Attal.

O realizador sublinha que “as cenas são bastante leves, foi muito leve, por isso foi um prazer conhecermo-nos, mesmo o Yvan se divertiu com a Bérénice nos textos, nos silêncios e sobre a maneira como a vai manipulando.”

O objetivo do realizador foi contar a história de um modo surpreendente e novo. “O que determina o interesse por este tipo de filme é a repercussão, ou seja, como é que vamos surpreender o público, dando-lhe pistas e que de um momento para o outro se torna num engodo, e fazemos o espetador descobrir que há outros níveis na história”, conta.

“Le dernier Diamant” nos cinemas, na Europa, até ao final de 2013.

Bonus interview with film crew