Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Retoma modesta da zona euro

Retoma modesta da zona euro
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A economia da zona euro está na via da retoma, mas a Comissão Europeia baixou as previsões para o próximo ano e não fez o mesmo para 2014 graças a uma melhoria económica em Espanha e na Holanda.

Chipre será o único país com crescimento negativo este ano.

Segundo Bruxelas, a zona euro vai crescer 1,2% este ano, enquanto a inflação desacelera duas décimas para 0,8%. Para 2015, a Comissão baixou o crescimento em uma décima para 1,7% e a inflação deverá ser de 1,2%, muito aquém da meta de 2% fixada pelo Banco Central Europeu.

A Comissão Europeia reconhece que a retoma é ainda frágil, devido à elevada dívida pública, às tensões nos mercados emergentes e à robustez do euro.

Siim Kalas, vice-presidente da Comissão Europeia e responsável pelos Transportes, Assuntos Económicos e Monetários, adianta: “Desde que a economia europeia saiu da recessão há um ano, as perspetivas económicas mantém-se favoráveis. A retoma ganha força, mesmo nos países vulneráveis. As políticas implementadas nos últimos anos estão a dar frutos. O investimento está a recuperar, enquanto o desemprego mantém-se elevado em muitos Estados membros”.

O desemprego, atualmente nos 12%, deverá baixar ligeiramente nos próximos dois anos. Bruxelas revela-se assim mais otimista do que em fevereiro.

A Alemanha continuará a ser o motor económico, mas a Comissão reconhece que o crescimento é firme em Espanha e em Portugal. A economia nacional deverá acelerar quatro décimas para 1,2% e crescer 1,5% no próximo.

Bruxelas afirma que a baixa inflação é uma ameaça ao crescimento europeu, mas considera o risco de deflação mínimo.