Última hora
This content is not available in your region

Agentes dos Estados Unidos ajudam no resgate das estudantes raptadas na Nigéria

Agentes dos Estados Unidos ajudam no resgate das estudantes raptadas na Nigéria
Tamanho do texto Aa Aa

No dia em que se soube do rapto de mais oito raparigas, a Nigéria voltou a sair à rua para exigir o regresso das adolescentes e condenar a incapacidade das autoridades em encontrar as mais de 200 estudantes sequestradas há três semanas, alegadamente pelos islamitas radicais do Boko Haram.

O Presidente da Nigéria pediu ajuda à comunidade internacional e já aceitou uma oferta de Washington, que envia uma equipa de peritos para ajudar nas operações de resgate.

Na primeira vez que se pronunciou sobre o caso, Barack Obama confirmou a Nigéria aceitou a ajuda de “militares” e “agentes da justiça” dos Estados Unidos. O Presidente norte-americano promete um “trabalho de equipa, que irá fazer tudo o que for possível para recuperar as jovens”, mas alertou para a necessidade de “lidar com o problema mais global de organizações como esta, que podem provocar uma enorme devastação na vida das pessoas”.

O Boko Haram, que significa “a educação ocidental é pecado”, quer instaurar um Estado islâmico na Nigéria, a maior economia africana.

Num vídeo, cuja veracidade está a ser confirmada, o líder do movimento vangloria-se do rapto das jovens adolescentes e ameaça “vendê-las no mercado”.

Uma das raparigas que conseguiu fugir aos raptores relatou que as jovens chegam a ser violadas 15 vezes por dia.

Entretanto, 14 alegados membros do Boko Haram foram detidos no vizinho Níger, 12 dos quais após um ataque contra militares em patrulha.