Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Parte da Antártida vai desaparecer

Parte da Antártida vai desaparecer
Tamanho do texto Aa Aa

O alerta vem da NASA: é irreversível o processo de derretimento de uma vasta porção da parte ocidental da Antártida. Os dados que os satélites têm recolhido revelam que seis glaciares estão a diluir-se nas águas do Mar de Amundsen a uma velocidade que, segundo o especialista Eric Rignot, torna o seu desaparecimento praticamente inevitável. “Já ultrapássamos o ponto de não-retorno. É só uma questão de tempo até os glaciares colapsarem por completo”, declara Rignot.

Este especialista destaca que “o recuo atingiu um nível que é único no mundo inteiro. O ritmo de desaparecimento atinge cerca de um quilómetro por ano. Até pode não pode parecer muito para quem não está familiarizado com a questão, mas a alteração dos glaciares não é desta escala.”

Uma das áreas mais atingidas é a do Glaciar Smith. Segundo Rignot, entre 1996 e 2011, a camada onde o gelo se encontra com a rocha que está debaixo diminuiu em 35 quilómetros, a uma cadência de dois mil metros por ano. As implicações para a subida do nível das águas do mar são evidentes, sendo que o volume em risco pode provocar um aumento de, pelo menos, 1,2 metros. Rignot salienta que, apesar da redução da emissão de gases com efeito de estufa, o desaparecimento desta calota polar é uma inevitabilidade.