Última hora
This content is not available in your region

Começou campanha do referendo sobre independência da Escócia

Começou campanha do referendo sobre independência da Escócia
Tamanho do texto Aa Aa

Começou a campanha oficial para o referendo sobre a independência da Escócia.

Os nacionalistas escoceses apelam ao fim de uma união com a Inglaterra que há dura há mais de 300 anos. Apoiam-se na rivalidade histórica e no que dizem ser a má gestão de dirigentes políticos num centro de decisão longínquo.

“Até ao momento estamos bastante contentes pela forma como a campanha está decorrer. Qualquer que seja a posição das pessoas nesta altura, toda a gente concorda que as ideias positivas, toda a campanha positiva, está do lado do «sim»”, afirma Blair Jenkins, líder do movimento «Sim Escócia».

O «não» conta com o apoio de peso dos principais líderes britânicos e está na frente das sondagens, apesar do número de indecisos poder fazer a diferença.

Um dos principais argumentos para as pessoas rejeitarem a independência tem sido o dos custos económicos.

“Acho que nós vamos ganhar e não apenas que podemos ganhar. Penso que vamos vencer porque as pessoas preferem a mistura da distinção, do parlamento escocês, mais poder e pertencer a algo maior. Creio que somos os únicos a oferecer à Escócia o melhor de dois mundos e é por isso que vamos triunfar”, argumenta Blair McDougall, líder do movimento «Melhor Unidos».

Os dois campos têm agora 16 semanas até ao dia “D” a 18 de setembro para convencer os mais de 4 milhões de eleitores escoceses.

Cada lado não pode gastar mais de um milhão e oitocentos mil euros na campanha.