Última hora
This content is not available in your region

Síria organiza hoje presidenciais classificadas de "farsa" pelo Ocidente

Síria organiza hoje presidenciais classificadas de "farsa" pelo Ocidente
Tamanho do texto Aa Aa

O regime sírio tenta dar uma ilusão de legitimidade às eleições presidenciais desta terça-feira.

O presidente do Parlamento sírio acolheu em Damasco uma delegação de observadores internacionais que deverá acompanhar o escrutínio.

Mas a oposição síria – que apelou ao boicote – e o Ocidente, liderado pelos Estados Unidos, denunciam uma “farsa” eleitoral.

Damasco apresentou dois supostos “rivais”, praticamente desconhecidos, que se opõem ao presidente Bashar al-Assad.

Mas ninguém duvida da eleição incontestável do líder sírio. Em teoria, será a primeira eleição presidencial na Síria em meio século e também a primeira vez que al-Assad será eleito, já que, tal como o pai e antecessor, foi designado por referendo.

Enquanto na capital domina a imagem do presidente, a violência que se alastra há três anos voltou a reclamar dezenas de vidas na véspera do escrutínio, apenas realizado nas zonas controladas pelo regime.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.