A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Fifa aguarda relatório sobre corrupção

Fifa aguarda  relatório sobre corrupção
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Os principais patrocinadores do Mundial de Futebol exercem pressão sobre a Fifa para chegar ao fundo das denúncias de corrupção sobre a atribuição do torneio 2022 ao Qatar.

A investigação deve terminar hoje o relatório que deverá ser apresentado à Fifa em seis semanas. Se a corrupção for comprovada, alguns dizem Qatar poderá perder o torneio de 2022.

Cinco milhões de dólares terão sido pagos, em subornos, por Mohamed Bin Hammam, presidente da Confederação Asiática de Futebol e membro executivo da FIFA, para garantir que a organização do Mundial 2022 fosse entregue ao Qatar.

Doha sempre negou as acusações de corrupção na escolha da sede do Mundial-2022, enquanto o Sunday Times garante ter documentos que supostamente provam as denúncias

Essas revelações acontecem dois meses depois que o Daily Telegraph afirmou que Jack Warner e familiares receberam 1,43 milhão de euros de uma empresa do Catar, propriedade de Hammam.

Depois de disputar a presidência da Fifa, contra o atual dirigente Joseph Blatter, Mohamed Bin Hammam foi declarado culpado de corrupção pelo comitê de ética da federação internacional e suspenso por toda a vida em 2012.