Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Violentos combates na cidade petrolífera de Kirkuk

Violentos combates na cidade petrolífera de Kirkuk
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Foças curdas tomaram a cidade devido ao “vazio de segurança” criado após a retirada das tropas do Exército do Iraque.

“Os ‘peshmergas’ (forças curdas) foram enviados pelo governo autónomo do Curdistão para as áreas abandonadas pelo Exército iraquiano a fim de proteger o povo do Curdistão, as comunidades étnicas e religiosas e as instituições públicas.

Estes combatentes estão a proteger as fronteiras da região autónoma, assim como as propriedades e os bens dos cidadãos.

A organização extremista Estado Islâmico do Iraque e do Levante ocupa Mossul, a cidade mais importante do norte do país, e de outras regiões limítrofes com o Curdistão depois de terem expulsado o Exército iraquiano.

Um grande número de pessoas da província de Ninawa – cuja capital é Mossul – refugiou-se em áreas sob controle dos “peshmergas”.

“Estamos com medo, isto não é um governo normal (ISIL), que nos permite não ter medo. Há estrangeiros entre eles, há os iraquianos, sauditas é um verdadeiro cocktail.

Milhares de habitantes fugiram dos combates segundo a Organização Internacional para as Migrações. Mulheres e crianças fogem de Moussul para Arbil onde ainda não chegaram os combates.

Por causa do conflito teme-se uma grave humanitária nesta região do Oriente Médio.

Na última quinta-feira, as tropas curdas tomaram o controle total da cidade petrolífera de Kirkuk, situada a 250 quilómetros ao norte de Bagdade.