A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Google abandona publicidade à pornografia

Google abandona publicidade à pornografia
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Google proíbe a publicidade à pornografia. O motor de busca comunicou a mudança de política aos anunciantes através de email.

Google AdWords, a empresa do Google que insere publicidade em função dos resultados das buscas, deixa de permitir a utilização de palavras-chave para a promoção de páginas com conteúdos sexuais.

A indústria pornográfica contesta a medida, sobretudo, os agentes independentes.

Pornografia e sexo são as pesquisas mais comuns na internet. O próprio Google AdWords revela que, só em maio, as palavras ligadas aos dois temas apareceram mais de 350 milhões de vezes.