Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Iraque: Cristãos fogem de Mossul

Iraque: Cristãos fogem de Mossul
Tamanho do texto Aa Aa

No Iraque os cristãos de Mossul abandonaram em massa a cidade após o ultimato lançado pelo Estado Islâmico (EI), que controla a cidade.

O grupo fundamentalista deu até sábado para os cristãos se converterem ao islamismo, pagarem a “jizya”, uma taxa religiosa, ou abandonem a cidade. Caso contrário seriam mortos.

As famílias em fuga procuraram refúgio na região autónoma do Curdistão iraquiano.

A presença de cristãos no Iraque é milenar, sendo considerados uma das mais antigas comunidades cristãs do mundo.

“Apelamos ás Nações Unidas, à comunidade internacional, à América e à União Europeia para intervir no terreno e não com apoio moral de discursos e conferências. Precisamos de apoio no terreno, de uma intervenção militar que resolva o problema que atinge o país. Precisamos que apoiem as forças de segurança e o exército”, disse o padre Joseph Francis, da Igreja União Anglicana Cristã.

O ultimato do dirigente do EI, Abu Bakr al-Bagdadi, é baseado no “dhimma”, segundo o qual os muçulmanos dão proteção aos “infiéis” em territórios islâmicos em troca do pagamento da “jizya”. Em finais de junho, o EI proclamou a fundação de um califado na Síria e no Iraque, onde é aplicada a interpretação radical da “sharia”, a lei islâmica.