A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Observadores internacionais continuam sem acesso aos destroços do avião da Malaysia Airlines

Observadores internacionais continuam sem acesso aos destroços do avião da Malaysia Airlines
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) fez mais uma tentativa, esta quarta-feira, de aceder ao local onde caiu o avião da Malaysia Airlines, mas sem sucesso. Há quatro dias que os observadores tentam fazê-lo mas acabam por esbarrar nas milícias pró-russas e regressam a Donetsk sem o conseguir:

“Hoje, o nosso objetivo era testar uma rota, fazer uma avaliação das estradas, por questões de segurança, é uma das tarefas para a qual fomos destacados, que temos vindo a fazer nos últimos três meses”, explica Michael Bociurkiw, porta-voz da OSCE na Ucrânia.

As autoridades ucranianas lamentam o facto dos grupos pró-russos não permitirem o acesso ao local:

“Gostava de frisar que a Ucrânia lamenta que, até ao momento, em território controlado por guerrilhas pró-russas, não seja permitido, aos peritos internacionais que investigam esta catástrofe, o acesso ao local da terrível tragédia”, afirma o vice primeiro-ministro ucraniano, Volodymyr Hroysman.

As preocupações de segurança continuam a existir, numa área onde prosseguem os combates, ainda que o governo de Kiev tenha garantido que o conflito não se estende ao perímetro do acidente.

Os governos estrangeiros, que perderam cidadãos, exigem que o acesso ao local até porque alguns restos mortais não foram ainda recuperados.