Última hora
This content is not available in your region

Há "novas provas" sobre envolvimento da Rússia na morte de Litvinenko

Há "novas provas" sobre envolvimento da Rússia na morte de Litvinenko
Tamanho do texto Aa Aa

Determinar o envolvimento Estado russo na morte do antigo espião do KGB, Alexander Litvinenko.

É o objetivo do inquérito aberto, hoje, pela Grã-Bretanha e que deve estar concluído em 2015.

O caso promete fazer aumentar a tensão entre Moscovo e Londres. O governo britânico garante que a decisão não está ligada à crise ucraniana ou à queda do avião da Malasya Airlines.

A viúva de Litvinenko aplaude a decisão justificada, agora, com a existência de novas provas.

Litvinenko morreu em 2006 depois de ter sido envenenado na capital britânica.

As suspeitas recaíram sobre dois antigos agentes do KGB que Moscovo se recusou a extraditar.

O antigo espião pediu asilo ao Reino Unido depois de ter denunciado a morte por encomenda do oligarca Boris Berezovski.

Litvinenko sabia que corria perigo de vida perigo e, antes de ser envenenado, disse ao mundo que o único interessado na sua morte era Vladimir Putin.

O Kremlin sempre negou qualquer envolvimento na morte do antigo espião.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.