Última hora

Comunidade internacional rejeita presença de contingente humanitário russo no leste da Ucrânia

Comunidade internacional rejeita presença de contingente humanitário russo no leste da Ucrânia
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O Presidente russo comunicou esta segunda-feira ao presidente da Comissão Europeia que vai enviar um contingente humanitário para ajudar a população do leste da Ucrânia.
Putin, em conversa telefónica com Durão Barroso garantiu que a missão será realizada em cooperação com a Cruz Vermelha.
Mas o ainda presidente da Comissão recusou qualquer intervenção russa em território ucraniano. Em comunicado, Durão Barroso afirmou que “rejeita qualquer intervenção, seja qual for o motivo”. Além disso, mostrou-se preocupado “face ao destacamento de tropas russas para a fronteira com a Ucrânia”, havendo por isso riscos de uma “intervenção unilateral” de Moscovo.

Tal como Bruxelas, também a NATO teme uma intervenção russa na região. O secretário geral da organização Anders Rasmussen diz mesmo que “existe uma elevada probabilidade de que isso aconteça. Com o pretexto de ajudar as populações do leste da Ucrânia, a Rússia está a reforçar os meios militares na região que podem ser depois usados numa operação militar ilegal na Ucrânia”.

As autoridades ucranianas confirmam as suspeitas da NATO e garantem que Moscovo está a enviar mais militares para fronteira com a Ucrânia. O porta-voz do exército de Kiev, Andriy Lysenko afirmou que “cerca de 45 mil elementos, reforçados por tanques e sistemas anti-mísseis reforçaram a fronteira entre os dois países”.

As forças ucranianas dizem ainda que se está a entrar na fase final da operação para recuperar o controlo da região de Donetsk.
Em reação a esta alerta, o líder dos separatistas, Alexandr Zakharchenko, deixou claro que os militares da autoproclamada Republica Popular de Donetsk estão prontos para responder ao ataque”.

Entretanto, e por causa da grave crise, o presidente ucraniano  Petro Poroshenko falou ao telefone com o presidente norte-americano Barack Obama e chegaram a acordo para a organização de uma operação de ajuda às populações do leste do país.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.