A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Ucrânia retoma controlo de cidade chave no leste do país

Ucrânia retoma controlo de cidade chave no leste do país
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O exército ucraniano afirma que retomou o controlo da cidade de Novosvitlivka, perto de Lugansk, ou seja, para chegar a Lugansk, a caravana russa, de ajuda humanitária, terá de passar por aqui, depois de entrar pelo posto de controlo de Izvaryne, que está nas mãos dos rebeldes.

As forças ucranianas continuam a atacar Donetsk, mesmo zonas residenciais, dois civis terão morrido. As consequências de um dos bombardeamentos, num dos bairros da cidade, são devastadoras.

Entretanto, o principal líder militar separatista, da autoproclamada República de Donetsk, demitiu-se. Igor Strelkov junta-se a Valery Bolotov, que também abandonou o lugar que ocupava, esta quinta-feira, e a Alexander Borodai que saiu e rumou à Rússia, na semana passada. Borodai e Strelkov são cidadãos russos.

Em Kiev, o parlamento ucraniano aprovou a lei que vai permitir impor sanções a empresas russas e indivíduos que apoiam e financiam os rebeldes separatistas, no leste da Ucrânia:

“Se houver uma ameaça à segurança nacional do Estado ucraniano, o chefe de Estado, através do conselho de segurança e defesa tem o direito de impor sanções da mesma natureza que aquelas que são impostas pelos nossos parceiros ocidentais: os países da UE, EUA e do G7”, explicou o Primeiro-ministro ucraniano, Arseniy Yatseniuk.

O governo redigiu uma lista onde constam os nomes de 172 cidadãos da Rússia e de outros países, e de 65 empresas russas, incluindo a gigante Gazprom.