A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Recomeçar do zero em França

Recomeçar do zero em França
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Dezenas de curdos iraquianos preparam-se para recomeçar uma nova vida em França.

O país admite não ficar por aqui e abrir portas a centenas de refugiados ameaçados de morte pelos fundamentalistas do Estado Islâmico.

À chegada a Paris, o grupo foi recebido pelo chefe da diplomacia francesa.

“É preciso manter a ação humanitária, por isso, estamos a enviar bens alimentares mas, ao mesmo tempo, precisamos de um serviço de acolhimento para receber as pessoas em risco. O Estado Islâmico está na origem de tudo isto. Pelo que é importante darmos os meios necessários aos iraquianos para que possam combater” refere Laurent Fabius, ministro dos Negócios Estrangeiros francês

França, Reino Unido, Alemanha e Itália já se comprometeram a enviar armas para os curdos iraquianos para travar o avanço dos extremistas. Mas nem todos se mostram dispostos a esperar. Muitos civis decidiram juntar-se às forças curdas e é nas ruas de Arbil que encontram o que procuram. Aqui há armas para todos os gostos e para todas as carteiras.