Última hora
This content is not available in your region

Opositores paquistaneses só desmobilizam quando Sharif se demitir

Opositores paquistaneses só desmobilizam quando Sharif se demitir
Tamanho do texto Aa Aa

Desde o dia 15 de agosto que é assim: apesar dos ultimatos das autoridades, milhares de manifestantes paquistaneses não arredam pé do bairro governamental da capital, Islamabad. Exigem a queda do primeiro-ministro, à luz do que é defendido conjuntamente pelos dois líderes da oposição que apoiam: o ex-jogador de críquete, Imran Khan, e o imã radicado no Canadá, Tahir ul-Qadri.

Um dos participantes nos protestos garante que “ninguém vai sair deste local, até Imran Khan pedir para o fazer.” Outro explica que “cada seguidor age de acordo com as ordens do seu líder. No caso, aguarda-se receber as instruções de Qadri.”

O contestado primeiro-ministro do Paquistão, Nawaz Sharif, reuniu-se com o chefe do exército para concertar uma saída para o braço de ferro. Ambos anunciaram que serão tomadas as medidas que “melhor defendem o interesse nacional”, sem as especificar.

Os opositores de Sharif reclamam a sua demissão e acusam-no de ter manipulado as eleições legislativas de 2013, denunciando fraudes generalizadas, apesar de os observadores internacionais terem declarado a legitimidade do escrutínio.