A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Kremlin diz que ameaça de Putin está "descontextualizada"

Kremlin diz que ameaça de Putin está "descontextualizada"
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

As polémicas declarações atribuídas as Vladimir Putin estão a correr o mundo. O chefe de Estado russo terá dito ao presidente da Comissão Europeia “se quiser tomo Kiev em duas semanas.” O Kremlin diz, agora, que as declarações estão descontextualizadas.

José Manuel Durão Barroso apresenta outra versão. Diz que Putin ameaçou conquistar o país vizinho e se escusou a responder a questões sobre a presença de soldados russos na Ucrânia.

Um conselheiro do Kremlin para as questões internacionais veio, entretanto, a público criticar a atitude de Barroso. Defende que “independentemente de as palavras terem sido pronunciadas” estão “fora de contexto” e tinham “um significado diferente.”

Certo, é que até ao momento o Kremlin, ainda, não explicou o que queria afinal dizer Vladimir Putin e qual o contexto em que as palavras terão sido proferidas.