A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Rosneft sofre efeitos das sanções

Rosneft sofre efeitos das sanções
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

As novas sanções europeias ainda não entraram em vigor, mas as empresas russas já enfrentam sérias dificuldades. A petrolífera Rosneft é uma delas.

A empresa é o maior produtor mundial de petróleo, mas foi obrigada a pedir 40 mil milhões de dólares de ajuda ao Kremlin.

A imprensa russa revela também que a empresa vai cortar 25% dos 4 mil efetivos e o presidente Vladimir Putin acolheu com agrado o interesse dos chineses em comprar ativos da Rosneft na Sibéria.

Com as sanções já em vigor, a Rosneft deixou de ter acesso aos mercados de capitais, para financiar a própria dívida e investir na modernização e expansão de explorações petrolíferas e refinarias. Além disso, deixou também de ter acesso a tecnologia ocidental.

Um revés que não pode ser compensado pela ajuda do Estado russo ou a linha de crédito da China.

Em agosto, a produção da Rosneft caiu 1,3%.