Última hora

Última hora

Mais de 20 anos depois Rússia ainda procura desertores lituanos

Em leitura:

Mais de 20 anos depois Rússia ainda procura desertores lituanos

Mais de 20 anos depois Rússia ainda procura desertores lituanos
Tamanho do texto Aa Aa

Mais de vinte anos depois da proclamação da Lituânia enquanto Estado independente a Rússia volta a pedir, formalmente, que o país ajude a encontrar desertores lituanos, do exército soviético.

Na altura, jovens oriundos da Lituânia, mas que tinham sido chamados para o Exército soviético, e enviados para diferentes lugares, acabaram por deixar falar o coração:

“Eu estava em Baku nessa altura então, um dia, o meu tio chegou e disse: tens de regressar à Lituânia. Criámos um plano e regressei. Nós fugimos”, conta Gintaras Patackas, desertor do exército soviético.

Mas não é a primeira vez que Moscovo faz um pedido do género às autoridades lituanas:

“Há cerca de 10 anos, a Procuradoria recebeu pedidos semelhantes, que foram analisados ​​e, naquela época, a decisão tomada foi a de recusar dar prosseguimento ao pedido. Recusar realizar a assistência jurídica”, explica Elena Martinoniene, porta-voz da Procuradoria.

A Lituânia é uma das três repúblicas bálticas e foi a primeira república soviética a proclamar a independência a 11 de março de 1990. Situação não reconhecida até agosto de 1991. As forças soviéticas tentaram, sem sucesso, pôr termos à revolta independentista que acabaria no desmembramento da União Soviética.