A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Paris não cede ao Estado Islâmico após decapitação de refém francês

Paris não cede ao Estado Islâmico após decapitação de refém francês
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O grupo Estado Islâmico executou um quarto refém ocidental após ter dado, ontem, um ultimato de 24 horas a Paris para que abandone as operações no Iraque.

O francês Hervé Gourdel, sequestrado no início da semana na Argélia por um grupo próximo do movimento islamita, foi assassinado, esta quarta-feira, por decapitação, à semelhança dos dois reféns americanos e do britânico executados nas últimas semanas.

A morte foi confirmada pelo presidente francês, François Hollande, que garantiu, frente ao Conselho de Segurança da ONU, em Nova Iorque, que Paris vai prosseguir a operação no Iraque contra o grupo Estado Islâmico.

“Não é a primeira vez que a França é atingida por ataques terroristas. E a França nunca cedeu e, de cada vez, reage com mais força e mais solidariedade. Outros países também foram atingidos por esta violência. É por isso que a nossa resposta tem de ser global, rápida e duradoura”, afirmou François Hollande.

Hervé Gourdel, um guia de montanha de 55 anos tinha sido raptado no domingo, por um grupo armado, auto-denominado os “Soldados do Califato”, quando efetuava uma caminhada com vários habitantes locais, na zona da Cabília, no norte da Argélia.

A imprensa local evoca uma possível imprudência, quando um grupo islamita tinha atacado um dia antes vários habitantes na mesma zona.