Última hora
This content is not available in your region

Irão diz que extremismo é consequência da invasão do Iraque

Irão diz que extremismo é consequência da invasão do Iraque
Tamanho do texto Aa Aa

O Irão pode ser decisivo no combate ao Estado Islâmico. Palavras do chefe de Governo britânico após um encontro como o chefe de Estado iraniano à margem da Assembleia Geral das Nações Unidas, em Nova Iorque.

Trata-se do primeiro frente-a-frente entre líderes dos dois países em mais de três décadas. David Cameron espera que não seja o último.

“É importante dar uma oportunidade ao Irão para mostrar que pode ser parte da solução e não do problema. Encontrei-me com o chefe de Estado iraniano e é verdade que temos pontos de vista diferentes, mas os líderes deste país podem ajudar-nos a derrotar a ameaça do Estado Islâmico” refere Cameron.

A intervenção do Presidente iraniano na Assembleia geral da ONU – uma das mais aguardadas esta quinta-feira – promete ficar marcada pelas críticas aos Estados Unidos.

“Estes grupos radicais não existiam antes da invasão do Iraque em 2003. E se isto não tivesse acontecido talvez nunca chegassem a aparecer” afirma Hassan Rohani.

Teerão já descartou qualquer envolvimento no campo de batalha no combate aos extremistas.

Euronews: “Barack Obama nunca disse ou estão connosco ou contra nós, como fez George W. Bush, mas destacou a importância da liderança norte-americana para garantir a estabilidade e paz no mundo.”

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.