Última hora

Inglaterra: Serviço Nacional de Saúde em greve por aumentos salariais

Inglaterra: Serviço Nacional de Saúde em greve por aumentos salariais
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Mais de 400 mil funcionários do Serviço Nacional de Saúde (NHS, na sigla inglesa) de Inglaterra e da Irlanda do Norte exigiram esta segunda-feira aumentos salariais através de uma greve que durou quatro horas. Foi a primeira greve de tal envergadura no setor dos últimos 30 anos.


A revisão salarial foi sugerida por um grupo independente de estudo afeto ao NHS, que defende um aumento de 1 por cento para todos os funcionários do setor da saúde, nomeadamente enfermeiros, auxiliares de saúde e paramédicos. O governo britânico recusa, por entender que tal revisão seria incomportável para as contas públicas, no atual contexto económico, e poderia provocar a necessidade de reduzir funcionários do NHS.


Os sindicatos do setor da saúde não se conformam e anunciaram a manutenção do braço de ferro por mais quatro dias, optando, no entanto, por substituir a greve pelo apelidado “work-to-rule” e que significa trabalhar apenas os mínimos que os contratos exigem.

Para fazer face, por exemplo, à adesão à greve desta segunda-feira dos condutores de ambulâncias, o NHS inglês recorreu à colaboração de militares.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.