Última hora

Cameron faz discurso inflamado sobre contribuição extraordinária exigida pela UE

Cameron faz discurso inflamado sobre contribuição extraordinária exigida pela UE
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

No seu discurso à Câmara dos Comuns, do Parlamento britânico, o Primeiro-ministro voltou a afirmar que o país não vai pagar a contribuição extraordinária de 2,1 mil milhões de euros, pedida pela UE, sem que antes a questão seja, exaustivamente debatida.

Para David Cameron a União Europeia está a partir de pressupostos orçamentais que são ainda previsionais e que quem paga são os contribuintes:

“A União Europeia tem de mudar, tem de recuperar a confiança e isso começa compreendendo e respeitando o facto de que esses pagamentos e ajustes são feitos à custa dos impostos pagos pelos cidadãos. Este é só um dos muitos desafios, na nossa longa campanha para reformar a União Europeia, mas é vital fazê-lo.”

Há três dias, o presidente cessante da Comissão Europeia, Durão Barroso, tinha dito que esta contribuição extraordinária deriva de dados estatísticos oficiais e que, por isso, não compreende a surpresa do Primeiro-ministro britânico.

A contribuição, definida tendo por base a nova forma de cálculo dos Produtos Internos Brutos nacionais, atinge os países considerados mais prósperos mas não todos da mesma forma.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.