Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Kiev encara declarações de Lavrov como uma provocação

Kiev encara declarações de Lavrov como uma provocação
Tamanho do texto Aa Aa

Uma provocação. É desta forma que Kiev reage às declarações do ministro do Negócios Estrangeiros russo.

Sergei Lavrov anunciou, esta terça-feira, que Moscovo vai reconhecer os resultados das eleições organizadas pelos separatistas no leste da Ucrânia no próximo domingo.

O chefe da diplomacia russo admite não só reconhecer os resultados do escrutínio agendado para 2 de novembro como das legislativas antecipadas deste domingo. Lavrov sublinha a importância de as autoridades do país chegarem a um entendimento.

Em Kiev, os partidos pró-europeus – os mais votados nas eleições legislativas – tentam negociar, em Kiev, a formação de uma coligação. Já nos redutos separatistas no leste do país três milhões de eleitores preparam-se para ir às urnas no próximo domingo.

Para os habitantes de Donestk e de Lugansk, o escrutínio não é uma prioridade.

Uma ucraniana diz que só gostava de saber quando é que a guerra vai acabar e vai poder voltar para casa.

Os separatistas boicotaram o escrutínio organizado por Kiev e preparam-se, agora, para avançar com eleições legislativas e presidenciais. O apoio de Moscovo aos separatistas promete dificultar um entendimento no leste da Ucrânia.