A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Comboios parados na Alemanha pela 6.ª vez em dois meses

Comboios parados na Alemanha pela 6.ª vez em dois meses
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Pode vir a ser a mais longa greve nos caminhos-de-ferro da Alemanha desde a Segunda Guerra Mundial. Os maquinistas da Deustsche Bahn pretendem ficar parados quatro dias, até segunda-feira, mas a empresa já contestou a greve junto do Tribunal do Trabalho, que irá pronunciar-se esta tarde.

O sindicato dos maquinistas exige a redução do horário de trabalho de 39 para 37 horas e um aumento nos salários.

Os passageiros têm a “impressão que a Alemanha foi feita refém por causa de um aumento de 5%” e consideram a ação “altamente exagerada”.

É a sexta vez no espaço de dois meses que os comboios param na Alemanha, o que já levou o líder do sindicato dos maquinistas, Claus Weselsky, a ser “eleito” como “empregado do mês” por uma empresa de aluguer de automóveis.

A greve afeta tanto o transporte de passageiros como o de mercadorias e, segundo as estimativas, custará à economia alemã 100 milhões de euros por dia, se for levada até ao fim.

A paralisação irá também afetar muitos dos que quiserem estar presentes nas comemorações dos 25 anos da queda do Muro de Berlim, no domingo, 9 de novembro.