Última hora

Última hora

Abrigo privado de Benito Mussolini aberto ao público em Roma

Em leitura:

Abrigo privado de Benito Mussolini aberto ao público em Roma

Abrigo privado de Benito Mussolini aberto ao público em Roma
Tamanho do texto Aa Aa

Foi aberto ao público, em Roma, o “bunker” privado do antigo ditador italiano Benito Mussolini. Construído pouco depois da entrada da Itália na II guerra Mundial ao lado dos nazis, em 1940, este abrigo estava ligado por túneis à antiga residência oficial de Mussolini, na Villa Torlonia, o palácio conhecido como Casino Nobile. A função desta estrutura era proteger o ditador e a família durante a guerra.

A abertura do “bunker” representa o primeiro passo da Fundação Museu do Holocausto para tornar a Villa Torlonia, na capital italiana, uma referência na reflexão sobre o período mais negro da Itália no século XX. “Depois de entrar na guerra, Mussolini mandou construir este abrigo para ele e para a família. Decidiu adaptar a cave usada para o vinho e integra-la neste “bunker” antiaéreo. O abrigo não foi feito em materiais que garantissem total proteção sob eventuais bombardeamentos, por isso, surgiu a decisão de construir um outro “bunker” dentro do complexo do palácio. Foram necessários alguns reajustamentos”, conta-nos Marco Placidi, o presidente da associação sem fins lucrativos “Sotterranei di Roma” (tr.: “Subterrâneos de Roma”).

Mussolini governou a Itália entre 1922 e 1943. É lembrado, sobretudo, pela aliança com a Alemanha Nazi de Adolf Hitler, na II Guerra Mundial, e pelas leis racistas com que perseguiu os judeus no país.

Para o presidente da Câmara de Roma, Ignazio Marino, abrir o “bunker” privado de Mussolini serve para lembrar esta parte negra da história italiana: “De facto, nós acreditamos que o que se passou no século passado não deve voltar a acontecer. Nunca. É por isso que é tão importante que estejamos aqui agora. Precisamos de ensinar às nossas crianças conceitos tão importantes como a liberdade e o facto de que todos fomos criados iguais.”

Mussolini foi morto por comunistas em abril de 1945 quando tentava escapar às forças aliadas. O corpo do ditador foi pendurado pelos pés e exposto em público, na altura, em Milão.

O “bunker” original do ditador foi agora, pela primeira vez, colocado acessível ao público. Os outros dois abrigos abertos há oito anos e logo fechados, por ter sido detetado gás radioativo no interior de ambos, já foram, entretanto, renovados e estão também abertos ao público.

Mais sobre le mag