Última hora
This content is not available in your region

Presidente checo vaiado nas comemorações da Revolução de Veludo

Presidente checo vaiado nas comemorações da Revolução de Veludo
Tamanho do texto Aa Aa

Vinte e cinco anos após a Revolução de Veludo que levou à queda da ditadura comunista checoslovaca, checos e eslovacos assinalam a data com sentimentos entre o otimismo, pela liberdade recuperada, e a deceção, pelos sonhos que não se realizaram.

Milhares de pessoas reunidas em Praga, pediram a demissão do presidente Milos Zeman.

“Ao fim de 25 anos, acho que os atuais políticos deviam ser substituídos pela nova geração”, disse um habitante da cidade.

A contestação a Milos Zeman resulta das suas posições assumidas face à politica externa russa, nomeadamente a defesa de Vladimir Putin no conflito ucraniano.

Para muitos cidadãos isso é uma traição ao legado de Vaclav Havel, o primeiro presidente eleito democraticamente após a queda do comunismo.

Escritor e dramaturgo, Vaclav Havel tomou posse a 29 de dezembro de 1989, colocando ponto final na revolução que não teve derramamento de sangue e que ficou conhecida como “Revolução de Veludo”.