A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Bicicleta inteligente com sensores

Bicicleta inteligente com sensores
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Uma equipa de investigadores holandeses desenvolveu uma bicicleta inteligente equipada com sensores que avisam o ciclista em caso de perigo.

Há um aumento do número de acidentes com pessoas idosas e há mais pessoas a usar bicicleta, durante períodos mais longos. O número de acidentes aumenta e por isso tentamos reduzi-lo recorrendo a uma nova tecnologia.

O objetivo é ajudar o ciclista a antecipar eventuais obstáculos ou movimentos repentinos da parte de veículos ou peões. Em caso de perigo, a bicicleta vibra.

A Holanda tem 17 milhões de habitantes, 18 milhões de bicicletas e 35 mil quilómetros de ciclovias.

“A vibração é uma forma eficaz de comunicar com o ciclista. Colocámos elementos que vibram no guiador da bicicleta e no selim e dessa forma podem avisar o ciclista em casa de perigo, em relação a algo que venha de frente, de trás, da esquerda ou da direita”, explicou Maurice Kwakkernaat, da Organização Holandesa para a Investigação Científica Aplicada.

Além do sistema de avisos, a bicicleta possui um motor elétrico com pedalagem assistida que permite atingir os 25 quilómetros por hora.

Um dos objetivos do projeto é reduzir o número de acidentes com bicicletas. No ano passado, 184 ciclistas perderam a vida nas estradas, apesar da Holanda possuir o melhor sistema de pistas para bicicleta do mundo.

“Há um aumento do número de acidentes com pessoas idosas e há mais pessoas a usar bicicleta, durante períodos mais longos. O número de acidentes aumenta e por isso tentamos reduzi-lo recorrendo a uma nova tecnologia”, acrescentou o investigador.

A nova bicicleta inteligente deverá ser posta à venda em 2018. Por enquanto, os sensores são demasiado caros para o consumidor médio.