Última hora
This content is not available in your region

Credores da Ucrânia consideram reestruturação da dívida externa

Credores da Ucrânia consideram reestruturação da dívida externa
Tamanho do texto Aa Aa

Os credores da Ucrânia estão a considerar uma reestruturação da dívida pública depois do presidente Petro Poroscheno assinar uma lei que permite ao governo impor uma moratória ao pagamento da dívida estrangeira. O decreto foi assinado pelo chefe de Estado na quinta-feira e pôs a pressão do lado dos credores que estão a renegociar os termos da dívida com o governo. A lei vai estar em vigor até julho de 2016. Em causa está uma dívida pública estrangeira calculada em 30 mil milhões de dólares que o país se mostra incapaz de pagar.

Kiev obteve um financiamento de 17,5 mil milhões de euros do FMI e recebeu em março a primeira fatia de 5 mil milhões. Mas até ao final do ano a Ucrânia tem de reembolsar perto de sete mil milhões de dólares.

Entre os credores que têm de ser reembolsados até dezembro encontra-se a Rússia que espera receber os três mil milhões de dólares emprestados em dezembro de 2013 ao governo do deposto presidente Viktor Yanukovitch. Vladimir Putin pretende reaver o dinheiro e já avisou que a Rússia vai recorrer aos meios legais necessários.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.