A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Europeus lançam este mês terceiro satélite do programa de observação da Terra

Europeus lançam este mês terceiro satélite do programa de observação da Terra
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A Agência Espacial Europeia (AEE) lança este mês o terceiro satélite do programa de observação da Terra Copernicus.

É possível determinar os componentes do oceano, as algas, a clorofila, a poluição e ver como esses componentes se movimentam na terra.

O Sentinel-3 junta-se a uma frota de aparelhos que recolhem dados sobre a Terra por intermédio de satélites e sensores, situados na superfície terrestre, no céu e no mar.

As empresas, o público e os responsáveis políticos poderão ter acesso a informações fidedignas e atualizadas quase em tempo real sobre a evolução do planeta e do clima.

Os dados do programa Copernicus podem ser aplicados em várias áreas: o planeamento urbano, a proteção da natureza, a agricultura, a saúde,
os transportes e o turismo.

“O sentinel-3 tem várias particularidades. O nosso equipamento é muito especial. Temos três instrumentos diferentes que nos permitem obter uma grande variedade de dados que podem ser usados em várias aplicações, a nível operacional mas também no domínio científico. Conseguimos cobrir uma grande variedade de domínios”, afirmou Susanne Mecklenburg, gestora da AEE.

O Sentinel-3 vai medir a temperatura, a cor, o peso da superfície do mar e a espessura do gelo. Ao nível da terra, o satélite vai obter dados sobre o tipo de ocupação humana e o estado da vegetação.

“É possível determinar os componentes do oceano, as algas, a clorofila, a poluição e ver como esses componentes se movimentam na terra”, explicou Constantin Mavrocordatos, da Agência Espacial Europeia.

O Copernicus é coordenado e gerido pela Comissão Europeia. Os satélites são da responsabilidade da Agência Espacial Europeia. Os sensores são desenvolvidos pela Agência Europeia do Ambiente e por alguns países da União.

A Organização Europeia para a Exploração de Satélites Meteorológicos dará apoio nas áreas do ambiente marinho, da atmosfera e das alterações climáticas.