Última hora

Carros passam a ter sistema eletrónico de comunicação em caso de emergência em 2018 na UE

Carros passam a ter sistema eletrónico de comunicação em caso de emergência em 2018 na UE
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Até abril de 2018, todos os veículos novos estarão equipados com o eCall, um sistema eletrónico de comunicação em caso de emergência.

O objetivo principal é salvar vidas. Estima-se que o aparelho possa salvar duas mil vidas por ano, na Europa, e reduzir bastante a gravidade dos ferimentos sofridos nos acidentes.

A Eslovénia foi o primeiro país a adotar o aparelho que poderá também ser instalado em carros antigos por um preço acessível.

“O eCall é uma aparelho que se insere no automóvel e quem em caso de acidente, envia vários tipos de dados. A informação enviada pelo eCall inclui a velocidade do veículo, a ativação do air bag em caso de acidente, o local do acidente, o número de passageiros que o veículo transporta e o tipo de combustível usado pelo carro”, explicou Bostjan Tavcar, diretor do centro de emergências da Eslovénia.

O eCall gerou um enorme debate no Parlamento Europeu devido à legislação sobre a proteção da vida privada. Os fabricantes garantem que as informações só serão transmitidas às autoridades em caso de acidente grave. Nos próximos dois anos, o aparelho vai ser obrigatório nos 28 países da UE, para os carros novos.

“O objetivo principal é salvar vidas. Estima-se que o aparelho possa salvar duas mil vidas por ano na Europa e reduzir bastante a gravidade dos ferimentos sofridos nos acidentes”, considerou Marijan Rimac, diretor do Serviço de Assistência Técnica do Clube Automobilista da Croácia.

Segundo dados da Comissão Europeia, entre 2001 e 2014, a sinistralidade nas estradas europeias caiu 53%, um valor médio que não se aplica a todos os países. Portugal é o segundo país da Europa Ocidental com maior mortalidade nas estradas.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.