Última hora

Última hora

Cientistas terminam simulação de como será viver em Marte

Cientistas terminam simulação de como será viver em Marte
Tamanho do texto Aa Aa

Seis cientistas completaram, este domingo, um ano a simular como será viver em Marte.

A equipa da missão HI-SEAS (Hawaii Space Exploration Analog & Simulation) da Universidade do Havai, é composta por voluntários dos Estados Unidos da América, Alemanha e França,

Durante 365 dias, os cientistas viveram numa cápsula de cerca de 110 metros quadrados, alimentada a energia solar.

Para a física alemã, Christiane Heinicke, a experiência permitiu “obter água de um solo que é aparentemente seco”. A estufa iria, assim, funcionar em Marte.

A instalação fica situada no vulcão Mauna Loa, no estado norte-americano do Havai, a cerca de 2500 metros acima do nível do mar, num local praticamente sem vegetação, lembrando a paisagem do planeta encarnado.

A simulação científica é financiada pela NASA. Esta é a quarta simulação realizada na cápsula e a mais longa. A primeira durou menos de quatro meses, a segunda completou os quatro meses e a terceira oito.

Além de testar as condições de habitabilidade para os humanos em cenários muito diferentes dos da Terra, a experiência pretende estudar a forma como a equipa interage, entre si, como pode gerir os relacionamentos de modo a evitar conflitos.

Já estão abertas as candidaturas para a formação de duas novas equipas que queiram participar em novas simulações de missões a Marte. Terão a duração de oito meses. A primeira terá início em janeiro de 2017 e a segunda em janeiro de 2018.