Última hora

Última hora

Manfred Weber: "Democracia é essencial para voltar a ligar Bruxelas aos cidadãos"

Em leitura:

Manfred Weber: "Democracia é essencial para voltar a ligar Bruxelas aos cidadãos"

Manfred Weber: "Democracia é essencial para voltar a ligar Bruxelas aos cidadãos"
Tamanho do texto Aa Aa

Manfred Weber apresenta-se como um candidato que defende os valores do partido popular europeu e da União Europeia. Um dos seus principais objetivos, se for eleito presidente da Comissão Europeia é manter a Europa Unida.

"Foi a minha proposta que obviamente teve êxito, disse a todos os delegados que sou um autêntico democrata-cristão, acredito nos valores do meu partido, do meu movimento, quero construir pontes na Europa, temos que mantê-la unida, e disse também que temos que exercer a democracia, é algo fundamental para voltar a ligar Bruxelas, a nível europeu, aos cidadãos da União Europeia, diz.

Viktor Orbán apoiou Weber apesar de o alemão ser partidário de aplicar pressão sobre a Hungria. Muitos perguntam se esse apoio teve um preço.

"A opção nuclear para lutar pelo estado de direito, para lutar pelos nossos princípios fundamentais, foi ativada porque eu e outros colegas do PPE votamos a favor desta opção. De modo que para nos não existe um tratamento especial em relação aos princípios fundamentais dentro do PPE ou fora do PPE. E eu pretendo criar no futuro um potente mecanismo de estado de direito vinculante e forte, com sanções incluídas. Temos que encontrar um mecanismo que garanta aos europeus que os nossos princípios básicos são respeitados por todos.

O enviado da Euronews, Darren McAffrey, explica que "agora cabe a Weber liderar o maior bloco político do Parlamento Europeu na esperança de poder reter a posição depois das eleições do próximo ano. Mas muitos também veem esta como uma vitória de Viktor Orban. Todos nós sabemos que Manfred Weber não tem sido muito duro com o primeiro-ministro húngaro e hoje teve o apoio dele. Muitos estariam à espera da sua reação, da do PPE e do parlamento europeu numa altura em a Europa pressiona a Hungria com o artigo sétimo da União Europeia em relação ao respeito Estado de direito.