A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Província sul-coreana de Gyeonggi aposta na inovação tecnológica

Província sul-coreana de Gyeonggi aposta na inovação tecnológica
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Situada no noroeste da Coreia do Sul, a província de Gyeonggi é um dos motores da economia nacional e aposta na inovação tecnológica.

O dinamismo da província sul-coreana está associado à Pangyo Techno Valley, conhecida como a Silicon Valley da Coreia do Sul, que alberga 1300 companhias, na maioria start-ups. Uma empresa da região está a testar o primeiro autocarro sul-coreano sem condutor. A euronews falou com um dos criadores do projeto Zero Shuttle.

"A Pangyo Techno Valley é o melhor complexo tecnológico para desenvolver start-ups na Coreia do Sul. Podemos testar o autocarro autónomo em condições reais nas estradas porque há menos controlos no interior da Pangyo Techno Valley", explicou o investigador Lim Kyung-il.

A economia do futuro

"Criámos uma cidade modelo jovem reunindo grandes empresas, start-ups da área tecnológica e os recursos humanos adequados, o que faz de nós líderes em tecnologia na Coreia do Sul. Estamos prontos e aguardamos a quarta revolução industrial", declarou Im Chang Gyoo, diretor do Departamento de Inovação da Pangyo Techno Valley.

A aposta nas biotecnologias

Na área da biotecnologia, uma startup sul-coreana desenvolveu uma banda para tratar doenças neurológicas.

"O aparelho gera uma corrente elétrica fraca que percorre o cérebro e modula a função cerebral e desse modo, atenua os sintomas da depressão, da demência e da esquizofrenia", explicou Kiwon Lee, presidente e fundador da Ybrain.

A banda está a ser usada em mais de quarenta hospitais na região de Seul e está em vias de comercialização.

Coreia do Sul testa rendimento universal

No capítulo social, a província de Gyeonggi vai começar uma experiência inovadora: a criação de um rendimento básico para todos os jovens de 24 anos, quer trabalhem ou não. A ideia é apoiada pelo governador da província sul-coreana.

"No futuro, as máquinas e a Inteligência Artificial vão produzir todos os produtos e muitas pessoas não vão poder trabalhar. Por isso, é preciso um rendimento básico. A província de Gyeonggi está a desenvolver este projeto-piloto. Esperamos que corra bem e que o mundo inteiro siga os nossos passos", explicou Jae-myung Lee, governador da Província de Gyeonggi.

Gyeonggi organizou uma conferência internacional para falar sobre a experiência do rendimento universal, com a presença de mais de trinta cidades e países.

"Gostaria que a conferência tivesse lugar no meu país, tenho inveja da província Gyeonggi por ser ela a lançar esta iniciativa. É maravilhoso. Penso que o governador Lee é um visionário e tem a influência necessária para fazer com que as pessoas vejam a sociedade de forma diferente", sublinhou Annie Miller Chair, da associação britânica Citizen’s Basic Income Trust.

No âmbito do projeto, 170 mil jovens vão receber cerca de 200 euros por trimestre. O montante não cobre a totalidade dos custos de vida. O objetivo é ajudar os jovens a encontrarem ou a criarem um emprego. O montante vai ser pago numa moeda local que só pode ser gasta nos comércios locais. A ideia é multiplicar as vantagens do projeto, estimulando a economia local.

A província de Gyeonggi em prol da paz

Além do desenvolvimento tecnológico e económico, a província de Gyeonggi quer contribuir para a paz entre a Coreia do Norte e a Coreia do Sul. A região acolheu uma ronda de conversações de paz, numa aldeia fronteiriça.