Notre-Dame sem os milhões prometidos

Notre-Dame sem os milhões prometidos
Tamanho do texto Aa Aa

Um mês após o grande incêndio que destruiu a Catedral de Notre-Dame, os 850 milhões de euros de donativos prometidos para a restauro da Catedral parisiense ainda não foram recebidos pelas fundações gestoras dos donativos. A revelação foi feita, esta quarta-feira, pelo ministro francês da cultura, Frank Riester.

O responsável pela Cultura reagiu assim à decisão unilateral da Fundação Património, uma das quatro responsáveis pela gestão dos donativos, que deu por finalizada a arrecadação depois de obter 218 milhões de euros.

O ministro considera que, por agora, o momento é de discussão de ideias.

"É muito cedo para concluir, é o momento do debate. Vamos aproveitar este momento criativo. Vemos grandes ideias em todo o lado, às vezes loucas, mas também extraordinárias. Vamos deixar a criatividade possuir os nossos compatriotas, Vamos fazer um belo debate arquitetónico, um belo debate. O tempo virá, e vamos decidir," afirmou Frank Riester.

Até agora, os investigadores acreditam que o incêndio devastador foi um acidente, possivelmente ligado aos trabalhos de restauro da catedral francesa.

O chefe da Unidade de Preparação para Emergências e Resposta a Emergências da Unesco, Giovanni Boccardi, disse que o incêndio foi um "alerta" para pessoas responsáveis ​​por locais históricos em todo o mundo.