Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Nicola Sturgeon procura apoio para a independência da Escócia

Nicola Sturgeon procura apoio para a independência da Escócia
Tamanho do texto Aa Aa

A chefe do governo regional da Escócia, Nicola Sturgeon, reuniu-se com o negociador-chefe da União Europeia para o Brexit, tema que está a colocar esta região do Reino Unido e o governo central de Londres em caminhos cada vez mais divergentes.

Nicola Sturgeon disse ao correspondente da euronews em Bruxelas, Darren McCaffrey, que é cada vez mais plausível um novo referendo sobre a independência da Escócia.

"Temos visto uma mudança radical na atitude das instituições europeias, e por parte de muitas vozes em muitos Estados-membros, sobre a questão da independência escocesa, face ao que diziam em 2014. Não digo que toda a gente apoie a independência escocesa, mas penso que há uma compreensão muito mais profunda dos argumentos que a justificariam. Eu não espero que os líderes da União Europeia tomem partido sobre qualquer questão interna de um Estado-Membro. Mas colocaria a questão de outro modo: Diga-me o nome de um líder da União que tenha dito que tentaria bloquear uma Escócia independente, se a Escócia tomasse essa decisão democraticamente?".

Nicola Sturgeon mostrou-se chocada com a forma como decorre a corrida à liderança do Partido Conservador, depois da demissão da primeira-ministra Theresa May, que descreveu como "filme de terror".

Questionada pela euronews sobre com qual dos dez candidatos seria mais fácil trabalhar, respondeu: "Entre todos venha o diabo e escolha. São todas perspetivas terríveis. Penso que algumas pessoas, nomeadamente Boris Johnson, Michael Gove e Dominic Raab, manipularam as pessoas do Reino Unido durante o referendo do Brexit. Essas pessoas defenderam linhas vermelhas nas negociações tão ridículas que apenas contribuíram para a confusão em que o Reino Unido se encontra. A perspetiva de algum deles se tornar primeiro-ministro é bastante desanimadora".

Todos os candidatos a líder do Partido Conservador recusam a ideia de novo referendo sobre a independência da Escócia.