Última hora
euronews_icons_loading
Uma década sem Michael Jackson

Há 10 anos, o mundo era surpreendido com a morte de Michael Jackson.

Uma overdose de um poderoso sedativo cirúrgico misturado com um anestésico ditou o fim do artista, no corpo do qual foram posteriormente detetadas outras drogas.

O cocktail fatal foi administrado pelo médico pessoal do cantor e cardiologista Conrad Murray, que viria a ser condenado a quatro anos de prisão. Murray saiu em liberdade condicional em 2013, depois de ter cumprido dois anos de pena.

De acordo com a revista Forbes, mesmo depois de morto, Michael Jackson continua a faturar, tendo sido a personalidade morta mais bem paga do mundo em 2018.

Apesar de ser uma das figuras mais controversas do mundo da música, muitos continuam a achar que não há sucessor para o trono do eterno rei da pop.