Última hora

Primeiro-ministro libanês não convence

Primeiro-ministro libanês não convence
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

30 anos depois do fim da guerra civil, o Líbano volta a viver dias de turbulência. Pelo quinto dia consecutivo, a população saiu à rua e aí se mantém, mesmo depois do governo anunciar medidas de choque para o país. O executivo de Beirute promete menos impostos para o povo; mais impostos para a banca; corte nos salários dos políticos e eleições antecipadas.

"Estas medidas não são moeda de troca. Não servem para pedir-vos para deixarem de protestar ou de se mostrarem zangados - essa decisão é vossa. Não vos vamos dar qualquer prazo e não vou permitir que vos ameacem ou intimidem", disse o primeiro-ministro libanês. Nas ruas, as palavras de Saad Al Hariri foram recebidas sem crédito. A população pede mais do que um pacote de medidas avulsas.

Em Maio de 2018 realizaram-se as últimas eleições legislativas no Líbano - escrutínio que não existia desde 2009. Agora a população pede uma mudança mais profunda.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.