Última hora
This content is not available in your region

Covid-19: Bélgica volta a limitar os ajuntamentos

euronews_icons_loading
 Covid-19: Bélgica volta a limitar os ajuntamentos
Direitos de autor  AP/Dirk Waem
Tamanho do texto Aa Aa

Para conter os surtos de Covid-19, o governo da Bélgica decidiu decretar novas restrições para os ajuntamentos, tanto a nível dos familiares e amigos como nos locais públicos.

"Até agora, o contacto social de cada indivíduo estava limitado a 15 pessoas próximas, por semana. A partir de quarta-feira, vai ser limitado a cinco pessoas, durante as quatro próximas semanas", anunciou Sophie Wilmès, primeira-ministra belga.

O tamanho dos ajuntamentos públicos será reduzido para um máximo de 100 pessoas em espaços fechados e 200 pessoas ao ar livre, com o uso obrigatório de máscara em ambos os casos.

O governo está também a implentar medidas de rastreamento mais apertadas, tais como a obrigatoriedade de comunicar o número de telefone quando se frequenta a restauração.

Em causa está travar uma segunda vaga, especialmente na metrópole de Antuérpia, no norte do país, onde os casos aumentaram, significativamente, nas últimas duas semanas.

"Deve ter-se em conta que todas estas medidas são tomadas para evitar um confinamento total. Por isso, é muito importante que sejam respeitadas por todos e em todas as situações. No estrangeiro, as regras podem ser um pouco diferentes, mas o espírito é o mesmo no sentido de limitar os contactos por forma a limitar os riscos", disse a primeira-ministra.

Para evitar um agravamento da situação económica, o governo decidiu manter a época de saldos a partir de 1 de agosto, como estava previsto.

Sendo um país de alta densidade populacional, a Bélgica já registou cerca de 65 mil infeções, das quais mais de 9800 resultaram na morte dos pacientes.