Última hora
This content is not available in your region

Jovens são quem mais espalha Covid-19 em Espanha

euronews_icons_loading
Jovens são quem mais espalha Covid-19 em Espanha
Direitos de autor  Felipe Dana/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved.
Tamanho do texto Aa Aa

Guillermo Gruschka tem apenas 28 anos, mas já sentiu as consequências da COVID19. Foi infetado em Março, quando pouco se sabia sobre um novo coronavírus que paralisou o mundo. Logo, a infeção se transformou em pneumonia. Só agora é que começa a recuperar.

"Não tinha forças para acordar nem para fazer exercício. O meu corpo doía como se tivesse sido espancado. O meu pescoço e os nódulos nas axilas ficaram inchados durante meses. Se um jovem precisa de ficar na cama durante três, quatro meses, imagine o que acontecerá a uma pessoa idosa, ao seu pai, a um familiar ou ao seu avô. Tem de ser muito cuidadoso", conta.

Apenas três meses após o fim do estado de emergência, as infeções em Espanha estão a aumentar. Desta vez, impulsionadas pelos jovens e pelo relaxamento das normas de distanciamento social.

Pedimos a Guillermo para ver um dos muitos vídeos que circulam nas redes sociais e mostram jovens a divertir-se, sem preocupação com o distanciamento social.

Imagens de festa em Tenerife

Diz: "Custa-me acreditar que isto não seja intencional. É uma loucura. Pode ser que seja isso. Talvez se sintam invulneráveis. Vêm as estatísticas e pensam que não os afeta ou que não será grave no caso deles. Sentem-se confiantes. Mas isto vai para além disso, é uma absoluta falta de cuidado com os outros".

Apesar das recentes campanhas de sensibilização, a média de idades dos novos casos positivos de Covid-19 é agora de menos de 35 anos em Espanha. Quatro a cinco novas infeções são impossíveis de rastrear até uma cadeia de transmissão identificada. Os especialistas estão a instar os jovens infetados a observar o isolamento, mesmo que não tenham sintomas.

Diz Javier García Fernández, chefe dos Cuidados Intensivos de Cirurgia do Hospital Puerta de Hierro em Madrid: "Aqueles que não sentem sintomas são informados que têm de se isolar durante 15 dias. E há quem não o faça, porque não sentem nada. Sabemos neste momento que o vírus está a espalhar-se em festas públicas e privadas. É você que está a trazer o vírus para casa e a transmiti-lo ao seu pai ou avô. Depois, eles morrem. Como é que vai viver com isso para o resto da vida?"

Espanha registou quase 50.000 novas infeções nos últimos 15 dias. 800 novos pacientes foram admitidos nos hospitais esta semana. Enquanto isso, os hospitais começam a acumular recursos e os governos regionais introduzem mais restrições. O País Basco e a Extremadura advertiram que uma segunda vaga está em curso.

Com os momentos mais dolorosos da pandemia ainda em mente, Espanha entra nas horas decisivas. O principal objetivo agora é reduzir a velocidade das novas infeções, antes que o sistema de Saúde volte a entrar em colapso.