Última hora
This content is not available in your region

Reino Unido e Ucrânia fazem exercício militar conjunto

euronews_icons_loading
Reino Unido e Ucrânia fazem exercício militar conjunto
Direitos de autor  Alik Keplicz/Copyright 2016 The Associated Press. All rights reserved. This material may not be published, broadcast, rewritten or redistribu
Tamanho do texto Aa Aa

Um exercício militar juntou centenas de paraquedistas britânicos e membros da unidade de elite "Pathfinder" às forças armadas ucranianas, no sul do país, junto à Crimeia, numa clara demonstração de força perante a Rússia, que iniciou ao mesmo tempo exercícios conjuntos com a China, o Irão e a Bielorrússia.

Paralelamente a esta missão, as tropas britânicas estão também a dar formação às forças ucranianas, o que acontece desde a anexação da Crimeia pela Rússia em 2014 e resultou já no treino de milhares de soldados.

O major James Athow-Frost, responsável por esta operação diz que a situação está tensa e é importante apoiar os ucranianos: "Espero que este exercício não passe despercebido", diz.

Embora esteja agora oficialmente em cessar-fogo, o conflito entre a Ucrânia e os grupos armados pró-russos no leste do país dura desde a mudança de poder de 2014.

O general Yevhan Moysiuk, comandante das tropas ucranianas diz que "a Rússia está a construir uma força de batalha, de forma permanente, junto à fronteira ucraniana".

A Rússia, juntamente com a China, Irão e Bielorrússia, deu início à série de exercícios militares com o nome Cáucaso 2020, que este ano está focada no combate aos mísseis e aos drones. Com estas manobras, a Rússia e os aliados pretendem demonstrar o poderio militar e dar apoio ao governo bielorrusso chefiado por Alexander Lukashenko, que se diz ameaçado por tropas da NATO, que continuam a juntar-se perto da fronteira.