Última hora
This content is not available in your region

Portugal acredita que UE vai ajudar Moçambique

euronews_icons_loading
Santos Silva acredita que UE vai ajudar Moçambique
Santos Silva acredita que UE vai ajudar Moçambique   -   Direitos de autor  LUSA
Tamanho do texto Aa Aa

O ministro dos Negócios Estrangeiros português acredita que a União Europeia vai apoiar Moçambique na formação das suas forças de combate ao terrorismo. A ministra dos Negócios Estrangeiros e Cooperação de Moçambique enviou uma carta a pedir apoio à União Europeia, designadamente na luta contra o terrorismo em Cabo Delgado.

Em entrevista à LUSA, em Bissau, Augusto Santos Silva lembra que o Parlamento Europeu já discutiu o assunto e que houve consenso entre os deputados. "Na condição de ministro dos Negócios Estrangeiros do país que vai ocupar a presidência do Conselho da União Europeia a partir de janeiro, já tive uma oportunidade de ter uma reunião formal com o alto representante Josep Borrel e um dos temas foi o norte de Moçambique, o apoio a Moçambique. Com base em todas estas informações estou seguro de que a resposta da União Europeia não tardará, será positiva, e naturalmente Portugal contribuirá para ela seja rápida e positiva", vincou o ministro português dos Negócios Estrangeiros.

Num discurso (gravado) à Assembleia Geral das Nações Unidas, em Nova Iorque, o presidente de Moçambique destacou a onda de violência provocada por ataques de grupos extremistas islâmicos no norte de Moçambique. "Provocam deslocados, destroem habitações e infraestruturas socioeconómicas, pilham bens das comunidades, mantêm crianças e mulheres em cativeiro. Como consequência destes fenómenos, mais de mil pessoas foram assassinadas e cerca de 250 mil pessoas estão deslocadas noutros distritos dentro do país", lamentou Filipe Nyusi.

A província de Cabo Delgado é palco há três anos de ataques armados desencadeados por forças classificadas como terroristas.