Última hora
This content is not available in your region

Pesticida proibido na UE mata abelhas na Colômbia

euronews_icons_loading
Apicultor em Quindío, Colômbia
Apicultor em Quindío, Colômbia   -   Direitos de autor  AFP
Tamanho do texto Aa Aa

Um pesticida proibido na União Europeia e com uso restrito nos Estados Unidos e na China está a matar abelhas na Colômbia.

Nos últimos anos, a população de abelhas nas explorações de Quindío, no oeste do país, reduziu drasticamente.

As investigações oficiais apontam o dedo ao Fipronil, proibido desde 2013 na Europa. Um pesticida usado para o cultivo de milho e girassol, mas que tem um efeito devastador nas abelhas.

Abdon Salazar, apicultor:"Nos últimos dois anos estima-se que tenham morrido 80 milhões de abelhas, o que significa cerca de 800 colmeias, com 100 mil abelhas por colmeia. É uma quantidade enorme, uma quantidade alarmante."

Em Quindío, a destruição das colmeia coincide com a expansão das monoculturas, como o abacate, cuja fragilidade exige intensas fumigações. A Colômbia é atualmente um dos principais fornecedores de abacates para a Europa.

De acordo com o governo local, entre 2016 e 2019, cinco multinacionais compraram grandes extensões de terra na região, para aproveitar o "boom" do abacate, cujas exportações passaram de 1,7 toneladas, há 6 anos, para 44,5 toneladas em 2019.