Última hora
This content is not available in your region

"The Phantom" e o homem que morreu por um crime que não cometeu

De  Blanca Castro  & patricia tavares
euronews_icons_loading
"The Phantom" e o homem que morreu por um crime que não cometeu
Direitos de autor  TRAILER
Tamanho do texto Aa Aa

Um novo documentário acende debate sobre pena de morte nos EUA. A última obra do realizador Patrick Forbes lida com um assassinato que aconteceu em 1983, numa bomba de gasolina em Tejas, no Texas. Carlos Deluna, um latino de 20 anos, foi acusado de um crime que nunca cometeu. Foi condenado à pena de morte e, anos mais tarde, um professor de direito e os seus alunos encontraram o verdadeiro assassino. Patrick Forbes retrata os problemas de um sistema que acredita ser imperfeito.

Tenho de perceber que levantou questões realmente importantes, não só sobre a pena de morte, mas sobre como a sociedade é governada, como é gerida.
PATRICK FORBES
Realizador "THE PHANTOM"

Com a certeza de terem encontrado o assassino, as autoridades encerraram o caso. DeLuna insistiu até ao fim da vida que estava inocente e disse que o verdadeiro assassino se chamava Carlos Fernandez. A polícia descartou o testemunho, dizendo homem era produto da sua imaginação.

A vítima neste crime é uma pobre mulher hispânica, o autor deste crime é um pobre homem hispânico, o inocente que é executado é um pobre homem hispânico. A sociedade não ia dar uma oportunidade justa a nenhum deles... Ironicamente, este filme, e a sua mensagem que é tão clara - a um homem inocente executado - pode ser o que dá origem à campanha que pode levar Biden a mudar a sua posição.
PATRICK FORBES
Realizador- "THE PHANTOM"

Em 2004, um professor de direito da Universidade de Columbia, intrigado com o caso, deu início a uma investigação com a ajuda dos seus alunos e de um detetive particular.

Carlos Hernandez era mesmo uma pessoa real e foi o autor do crime. Curiosamente, tinha uma notável semelhança com Carlos DeLuna, executado em 1989.